sábado, 20 de fevereiro de 2010

~~ºº~~ Como um navio ~~º~~


Se o vento sopra e rasga as velas
E a noite é gélida e comprida
E a voz ecoa das porcelas,
Deixa-te estar na minha vida.

Se erguem as ondas mãos de espuma
Aos céus, em cólera incontida,
E o ar se tolda e cresce a bruma,
Deixa-te estar na minha vida.

À praia, um dia, erma e esquecida,
Hei, com amor, de te levar.
Deixa-te estar na minha vida.
Como um navio sobre o mar.

2 comentários:

silvo disse...

Eres ayuda, consuelo, esperanza, ilusión, eres paz y remanso, eres belleza expresada en unas líneas, has dicho mucho sin excesivas palabras, muy bello, um beijo y buen fin de semana

Carlos Rímolo disse...

Cara amiga Bloguista!!!!

Perdoa-me a invasão, mas estava à procura de imagens
para meu último Soneto, quando deparei com seu Blog. O que
ativou-me a curiosidade!
Como poeta, gosto de escrever e também deleitar-me com
as obras Literárias de meus colegas, uma espécie de interatividade.
Achei seu Blog. magnífico e com conteúdos maravilhosos.
Meus parabéns! Desculpa-me mais uma vez!!!!!!

POETA CIGANO – 24/02/2010.

Se quiser visitar-me, o que seria uma honra, meu Blog. é:
carlosrimolo.blogspot.com

Beijos poéticos e de luz em teu coração!!!!!