domingo, 10 de outubro de 2010

~~º~~Caio no teu chão ~~º~~


Caio no teu chão e sinto como queima
o teu coração e como bate
essa dor nos largos campos da existência.
Por mais que a chuva se perca
nos trilhos desse teu caminho torto,
não consegue levar com ela o fogo
que te consome frascos inteiros de vida...
Por mais que chova dia e noite,
que a água congele e te abrace a alma,
é tudo em vão… O gelo derrete
e a água evapora, espalhando as secas
pelo chão que arde e não permite
o brotar de uma simples flor
ou o nascer de um novo amor.

2 comentários:

silvo disse...

Me gusta el poema, beijos Princesa

Márcia Vilarinho disse...

Que lindo! Como é difícil realmente surgir novamente essa flor na terra árida onde o antigo amor toda seiva levou. Lindo! Beijos